(47) 3345.3712       Av. Emanoel Pinto, 925, Balneário Piçarras - SC


Intolerância à Lactose

O que é Intolerância à lactose?
A intolerância à lactose, também conhecida como deficiência de lactase, é a incapacidade que o corpo tem de digerir lactose - um tipo de açúcar encontrado no leite e em outros produtos lácteos.
 
Tipos
Existem três tipos de intolerância à lactose. Conheça:
  • Intolerância à lactose primária, resultado do envelhecimento. É comum em pessoas de idade mais avançada
  • Intolerância à lactose secundária, resultado de alguma doença ou ferimento
  • Intolerância à lactose congênita, quando a pessoa já nasceu com o problema.
Causas
A intolerância à lactose acontece como consequência de um outro problema: a deficiência de lactase. Ela ocorre quando o intestino delgado deixa de produzir a quantidade necessária de da enzima lactase, cuja função é quebrar as moléculas de lactose e convertê-las em glucose e galactose.
 
A presença de lactose no organismo se dá por meio da ingestão de leite e seus derivados.
 
As causas para a intolerância à lactose variam de acordo com o seu tipo:
 
Intolerância à lactose primária
Durante a infância, o corpo produz muita enzima lactase, pois o leite é a fonte primária de nutrição após o nascimento. Geralmente, o corpo diminui a quantidade de lactase produzida conforme a pessoa vai envelhecendo e sua dieta variando, com o acréscimo de novos tipos de alimentos. Com o tempo, esse declínio na produção de lactase pode levar a um quadro de intolerância à lactose.
 
Intolerância à lactose secundária
Este tipo de intolerância ocorre quando o intestino delgado deixa de produzir a quantidade normal de lactase por causa de alguma doença, cirurgia ou injúria. Algumas condições que podem levar a um quadro de intolerância à lactose secundária são a doença celíaca, gastroenterite e a doença de Crohn, por exemplo. O tratamento da condição intrínseca a esse tipo de intolerância pode resolver o problema.
 
Intolerância à lactose congênita
É possível, embora raro, que bebês nasçam com intolerância à lactose por causa da deficiência total de lactase no organismo. Essa é conhecida como herança autossômica recessiva e é passada de geração em geração. Isso significa que tanto o pai quanto a mãe precisam transmitir o gene da intolerância à lactose para o filho para que ele apresente o problema.
 
Fatores de risco
Alguns fatores são considerados de risco para a intolerância à lactose. Confira:
  • Idade: conforme os anos vão passando, as chances de se desenvolver intolerância à lactose aumenta
  • Etnia: intolerância à lactose é mais comum em negros, asiáticos, hispânicos e indígenas
  • Nascimento prematuro: bebês que nasceram prematuramente apresentam menos lactase no organismo, porque a produção desta enzima aumenta somente no final do terceiro trimestre da gravidez
  • Doenças: algumas condições que afetam o intestino delgado podem afetar a produção da enzima lactase, levando à intolerância à lactose, como a doença de Crohn
Sintomas de Intolerância à lactose
Os sintomas de intolerância à lactose geralmente começam de trinta minutos a duas horas depois de a pessoa ingerir alimentos ou bebidas que contenham lactose. Entre os sintomas estão:
  • Diarreia
  • Náusea e às vezes vômito
  • Dores abdominais
  • Inchaço
A intensidade dos sintomas varia de acordo com a ocasião, mas eles costumam ser amenos.
 
Buscando ajuda médica
Caso perceba os sintomas acima e suspeitar que eles estejam ligados à ingestão de lactose, procure um médico e explique a situação.
 
A consulta costuma ser rápida, por isso é importante que você agilize e leve os seus sintomas anotados, para descrevê-los ao médico. Aproveite também para tirar todas as suas dúvidas.
 
O especialista também deverá lhe fazer algumas perguntas. Veja exemplos:
  • Você ingeriu algum alimento ou bebida que contenha leite?
  • Quando os sintomas começaram?
  • Os sintomas são frequentes ou ocasionais?