(47) 3345.3712       Av. Emanoel Pinto, 925, Balneário Piçarras - SC


ENDOCRINOLOGIA

Tireoide

 

Os principais sintomas são perda ou ganho de peso, distúrbios do sono e do ritmo intestinal, coração acelerado, excesso de frio ou calor, alterações na pele e queda de cabelos. Pode haver aumento de volume no pescoço ou até mesmo a presença de nódulos que podem ser malignos em alguns casos. O tratamento deve ser individualizado.
 
Nódulos na Tireóide
É comum a ocorrência de nódulos de tireóide e o câncer de tireóide tem se tornado um problema cada vez mais prevalente.
Cerca de 5% das mulheres e 1% dos homens apresentam nódulos palpáveis na tireóide. Este número aumenta quando se avalia a tireóide com a ultrassonografia de alta resolução que pode detectar nódulos em 19 a 67% da população, dependendo do grupo avaliado, sendo mais frequente nas mulheres e nos idosos.
Quando um nódulo é encontrado na tireóide é necessário que se exclua a presença do câncer de tireóide, o que ocorre em cerca de 5 a 15% dos casos, dependendo de fatores como idade, sexo, exposição prévia a irradiação, casos na família, entre outros. Casos em que o crescimento nodular é rápido ou que estão associados à rouquidão devem ser avaliados imediatamente.
Com a descoberta de um nódulo tireoideano o endocrinologista irá submeter o paciente a uma avaliação clínica, levando em conta dados da história clínica do paciente e de seus familiares, assim como fará o exame físico com atenção especial à glândula tireóide e à região cervical, procurando definir as características do nódulo e a presença de linfonodos.
Exames de sangue em geral são solicitados para a avaliação do funcionamento da tireóide, pois nódulos "quentes", ou seja, que estão associados à produção aumentada de hormônios tireoideanos raramente são malignos. Na presença de hipertireoidismo uma cintilografia de tireóide pode ajudar a definir o quadro.
O aspecto ecográfico do nódulo também é importante para se decidir sobre a necessidade de prosseguir com a investigação. Algumas características relacionadas ao tamanho e à textura do nódulo, presença de calcificações e características do fluxo sanguíneo dentro do nódulo irão definir a necessidade de realizar uma "biópsia", que no caso de nódulos tireoideanos é feita através da PAAF, ou seja, Punção Aspirativa por Agulha Fina guiada por ecografia. O procedimento é simples e rápido e pode definir o diagnóstico de um nódulo de tireóide na maior parte dos casos.
 
Recomenda-se a avaliação por um endocrinologista sempre que houver a suspeita de um nódulo de tireóide.
 
Hipotireoidismo e Cuidados na Gestação
Ficar grávida é maravilhoso, mas estamos conversadas que junto com a alegria surgem alguns medos. Entre eles, o maior é o de perder o bebê. E como a gestação altera todo o funcionamento do organismo, pode mexer também com os hormônios. Daí é importante saber que entre as causas do aborto espontâneo está o hipotireoidismo (o funcionamento "preguiçoso" da tireoide). "Para a gravidez acontecer o organismo precisa se adaptar, chegando a um novo equilíbrio hormonal. Entre os hormônios essenciais está o produzido pela tireoide. Quando ele falta ocorre um aumento no risco de complicações, sendo que as mais frequentes são parto prematuro e abortamento, que ocorre com frequência duas a quatro vezes maior que o habitual quando o hipotireoidismo não tem diagnóstico